domingo, 18 de julho de 2010

COLCHA DE RETALHOS

COLCHA DE RETALHOS

Me abriga nas metáforas
da minha colcha tecida ao longo do tempo...
Múltiplos retalhos coloridos
sem nenhum alinhavo.

Teci todos com fios de fibra óptica,
para resistir ao tempo, ao relento,
assim mesmo na eternidade todos poderão ler.

A solidão, o silêncio e a introspecção...
São os tons neutros.
O amor e a esperança...
São os mais vivos que tanto marcam minha vida.
Os fluorescentes... São os momentos
em que viajo fantasiando os sonhos meus.

Como em todos me emocionei, me entreguei,
arrematei suas franjas com papel timbrado
com as minhas iniciais...
Firmando retalhos poéticos.


UM 'MIMO' DA POETISA BEBE


Com amor e carinho,
Sílvia

9 comentários:

SKIZO disse...

Exquisite
Work

good
sources
of
Inspiration

Ricardo Fabião disse...

Muito significativa a forma como costuras a vida, o que te rodeia.
Decerto, somos os responsáveis pela tessitura da colcha que nos cobre, que leva o seguir adiante.

Lindo, Sílvia.
Aqui não seria diferente.

Olha, tem uma música do Gil (não sei se você conhece), que retrata bem essa costura dos dias. Chama-se "A linha e o linho".

Começa assim:

"É a sua vida que eu quero bordar na minha / Como se eu fosse o pano e você fosse a linha / E a agulha nas mãos da fantasia / Fosse bordando ponto-a-ponto nosso dia-a-dia..."

Isso sem contar a melodia, que é linda.

Beijos

Ivan Bueno disse...

Sílvia,
Belas vozes e belas músicas você escolheu para acompanhar seu poema, que fala dos retalhos que você, e todo ser humano, vai colecionando e juntando como pode para formar sua colcha-vida-história. Milton Nascimento, cantando Caçador de Mim, e Zizi Possi, cantando Renascer, são belas vozes em belas músicas e belas letras. Eu tenho este DVD do Milton, Tambores de Minas. É lindo... se é que é possível dizer que alguma coisa do Milton não seja.
Seu poema me fez pensar sobre quais são as cores que têm predominado na minha colcha-vida. Bela metáfora, desde o título do blog.
Beijo grande,

Ivan Bueno
blog: Empirismo Vernacular
www.eng-ivanbueno.blogspot.com

Denise Portes disse...

Silvia querida
Lindo post, belas escolhas das músicas. Obrigada por seu carinho e por suas palavras no Delirío da Bruxa.Quanto a postar algo meu, eu terei muito orgulho de participar da sua bela colcha de retalhos. Muito me emocionou suas palavras.
Um beijo
Denise

Helena Castelli disse...

É bom quando lemos algo que nos toca, que nos faz pensar.

Obrigada pelo carinho, e fique à vontade de usar o texto que melhor lhe aprouver...

Bjs

Andrea de Godoy Neto disse...

Silvia, que maravilha essa tua colcha da vida, costurada com poesia!


[e finalmente consigo postar aqui :) fazia um tempão que eu tentava e dava um erro de postagem]

um beijo imenso!

p.s. ter qualquer verso meu publicado aqui é uma honra para mim. Fique à vontade, querida.
mais beijos

Lorena Filgueiras disse...

Silvinha, querida (desculpe a intimidade), que lindo teu blog!!!!
Prometo vir mais vezes, mas parabéns pela iniciativa. Muito sucesso!!!
Bjs.

VEREDAS, por Marluce disse...

Sílc,


Eu lembro que quando pequena minha mãe cantava uma música que falava sobre colcha de retalho!
(Hoje lembro com saudade e aqueço minhas saudades dela com a colcha de retalho).


Uma de colcha de retalho é linda, é tecida por muitos tecidos, todos diferentes como se fossem gente, amores, flores unidas em um grande ramalhete!


Belo post e lindo blog!


Um abraço, Marluce

BEBE disse...

Com imenso prazer que leio os comentários referente ao nosso
Colcha de Retalhos, foi bom deixar
para vir aqui agora...
Aqui cada letra que escrevi é
um retalho de mim, de nós
habitantes deste universo
maravilhoso chamado AMOR
sem deixar em nenhum segundo
a ESPERANÇA de lado,
buscando através dos meus
sonhos um mundo sempre alinhavado
com fios de emoção...Aqueles
conquistados diariamente
e pendurados agora na minha alma.
Obrigado querida
pela cumplicidade,
sinto-me honrada em ter uma poesia
minha aqui no seu cantinho poético.
Te convido agora a
visitar minha Declaração de Amor
que fiz hoje a São Paulo.
Um abraço carinhoso
da
BEBE