sábado, 14 de agosto de 2010

Coizaz

As coisas vêm
As coisas vão
E, com o tempo
Viram pano de chão

As coisas vão
As coisas vêm
Sai um emprego
Entra um neném

As coisas vêm
As coisas vão
De vez em quando
Quebram um coração

As coisas vão
As coisas vêm
Troca- se dinheiro
Pelo amor de alguém

As coisas vêm
As coisas vão
E há casamentos
Que não dura um colchão

As coisas vão
As coisas vêm
E só-sobrevive
Quem não vai também...
(Greice Munhoz da Silva)
Indo e Vindo,
Sílvia

2 comentários:

gremunhoz disse...

Quanta alegria saber que meu poema Coizaz anda por aí cativando corações. Sílvia querida, seja bem-vinda! Logo lerei cada pedacinho do Colcha de retalhos. ♥

Prisca disse...

Lindo demais....E a mais pura verdade

Beijos

Pri