quarta-feira, 1 de setembro de 2010

O resto... não quero

O resto... não quero

Barco sem timão,
Relógio sem pêndulo
Balanço e solavanco
Desgovernado riso
Pecado de nuvens
Ausência de sombras
Rio sem nome
Espuma na areia
Canto da noite
Mãos de etéreo tato
Lua e lume
Rua do beijo
Trégua na guerra
Espasmo do pranto
Gargalhada e soluço
 Limo na pedra
Suor do desejo
Portal do mistério
Palavra certeira
Caricia da espera
Saturnal lágrima
Poesia escondida
Corpo presente
Ausente agonia
Assim teu amor
O resto
não quero.
 Flavio Pettinichi
Imagens Helena Castelli e Fernando José Karl
Será esse o desitino
Viajar em seu navio
Pelos mares, pelos rios
Andar só...
Será esse o caminho
Navegar assim sozinho
Sem alguém que nos espere
Nos cais...
Homem algum será deserto ou ilha
Como não pode o rio negar o mar...
Sonhe, sonho solidário
Faz crescer o amor diário
Vai...
Abre as portas do navio
Beba o mar e beba o rio
Viva a vida e viva o tempo
De amar
Vai...
tua vida!
Navegando à deriva,
Sílvia

4 comentários:

Helena Castelli disse...

Silvia... estou adorando ser um pedacinho de sua bela colcha de retalhos.

Beijos com carinho.

flaviopettinichiarte disse...

Nossa...Muito Luco ler esse texto num outro lugar que não seja o que eu Reconheço..ate Gostei dele ( do texto) rsrsrsr...Muito Obrigado Sil..Muito Obrigado Mesmo!!

« Katyuscia Carvalho » disse...

Silvia,

O título do seu blog já é pura beleza!
E as composições que você tece, obras de sensibilidade à ponta da agulha.
Linda forma de ser assim, tecelã, entre imagens e palavras... e encontrando entrelinhas para cores, para sons...
Só o essencial.
Os restos só jazem à margem.

Um beijo.

feiticeira disse...

Belas postagens, a sua manta de retalhos me aqueceu e me faz sentir confortável, quase como em Casa...