segunda-feira, 11 de outubro de 2010

O que os meus olhos veem

Hoje a minha Colcha de Retalhos é toda Priscil-amar!

Pudesse eu, esmagar-te suavemente contra o meu peito forte.
Prender-te com laços de seda fina...
Levar-te para alcançar todas suas realizações...
Fazer-te voar, entre nuvens de sonho e adivinhar o teu sorriso em toda a ternura que te ofereço.
Pudesse eu...
Ai me pudesse, mergulhar nos teus olhos de mar e navegar tranquilo, quando não estás comigo...
Pudesse eu, esmagar-te contra o meu peito, onde guardo todas as minhas emoções e angústias...
Pudesses tu sentir o meu coração frágil e apertado, explodindo cristais de amor e saberias o quanto TE AMO!
Enquanto isso te tem nos meus pensamentos e na tua fotografia para compensar todas as distâncias.
Aguardo cada regresso e finjo embalar-te em abraços delicadamente apertados sonhando-te menina feliz.
Porque uma fotografia pode levar-nos a emoções fortes, muito fortes...
Acordei com o teu sorriso nos meus olhos, meu amor, ainda não fui... Porque me falta a tua mão.
Um beijo meu... E volta a dizer-me que não és mais menina para te esqueceres. Que sossegue,  dizendo -"Mãe em breve nos veremos." 
E, me aguento, hoje, sem ti dentro do meu abraço, tentando ser uma mulher forte pela vida inteira! Então não demores...
Querida princesa sempre linda Pri, minha Flor Tulipa:)
Amo-te. Tudo. Tanto. Infinitos íssimos. Para sempre. Amo-te muito... Até ao infinito e um pouco mais além.
Mãe.
Uma estória que vivenciamos juntas:
FLOQUINHOS DE CARINHO

Havia uma aldeia onde o dinheiro não entrava.
Tudo o que as pessoas compravam tudo o que era cultivado e produzido por cada um, era trocado.
A coisa mais importante, a coisa mais valiosa, era a AMIZADE.
Quem nada produzia quem não possuía coisas que pudessem ser trocadas por alimentos ou utensílios, dava seu CARINHO.
O CARINHO era simbolizado por um floquinho de algodão. Muitas vezes, era normal que as pessoas oferecessem floquinhos de algodão sem querer nada em troca, pois sabiam que nunca ficariam sem floquinhos.
Um dia, uma mulher muito má, que vivia fora da aldeia, convenceu um pequeno garoto a não mais dar seus floquinhos. Desta forma, ele seria a pessoa mais rica da cidade e teria o que quisesse.
Iludido pelas palavras da malvada, o menino, que era uma das pessoas mais populares e queridas da aldeia, passou a juntar CARINHOS e em pouquíssimo tempo sua casa estava repleta de floquinhos, ficando até difícil de circular dentro dela.
Daí então, quando a cidade já estava praticamente sem floquinhos, as pessoas começaram há guardar o pouco CARINHO que tinham e toda a HARMONIA da cidade desapareceu. Surgiu a GANÂNCIA, a DESCONFIANÇA, o primeiro ROUBO, o ÓDIO, a DISCÓRDIA, as pessoas se FALARAM MAL pela primeira vez e passaram a IGNORAR umas as outras na rua.
Como era o mais querido da cidade, o garoto foi o primeiro a sentir-se TRISTE e SOZINHO, então procurou a velha para perguntar-lhe se aquilo fazia parte da riqueza que ele acumularia. Não a encontrando mais, ele tomou uma decisão: pegou uma grande carriola, colocou todos os seus floquinhos em cima e caminhou por toda a cidade distribuindo aleatoriamente seu CARINHO. A todos que dava CARINHO, apenas dizia: Obrigado por receber meu carinho.
Assim, sem medo de acabar com seus floquinhos, ele distribuiu até o último CARINHO sem receber um só de volta.
Sem que tivesse tempo de sentir-se sozinho e triste novamente, alguém caminhou até ele e lhe deu CARINHO. Outro fez o mesmo... Mais outro... E outro... Até que definitivamente a aldeia voltou ao normal.
Querida Filha:
Aceite meu floquinho como prova do meu carinho, pois é assim que pretendo conduzir o aprendizado recebido e que te passei: “Existem alguns riscos que são dignos de se correr, porém o medo de riscos é indesculpável... Você tem que defender aquilo em que você acredita”.
Meus floquinhos que sempre dividi com você e espalhamos pela nossa Casa: "Se eu falar em línguas de homens e de anjos, mas não tiver amor, tenho-me tornado um [pedaço de] latão que ressoa ou um címbalo que retine. E se eu tiver o dom de profetizar e estiver familiarizado com todos os segredos sagrados e com todo o conhecimento, e se eu tiver toda a fé, de modo a transplantar montanhas, mas não tiver amor, nada sou. E se eu der todos os meus bens para alimentar os outros, e se eu entregar o meu corpo, para jactar-me, mas não tiver amor, de nada me aproveita. O amor é longânime e benigno. O amor não é ciumento, não se gaba não se enfuna não se comporta indecentemente, não procura os seus próprios interesses, não fica encolerizado. Não leva em conta o dano. Não se alegra com a injustiça, mas alegra-se com a verdade. Suporta todas as coisas, acredita todas as coisas, espera todas as coisas, persevera em todas as coisas. O amor nunca falha. Mas, quando chegar o que é completo, será eliminado o que é parcial. Quando eu era pequenino, costumava falar como pequenino, pensar como pequenino, raciocinar como pequenino; mas agora que me tornei homem, eliminei as [características] de pequenino. Pois, atualmente vemos em contorno indefinido por meio dum espelho de metal, mas então será face a face. Atualmente eu sei em parte, mas então saberei exatamente, assim como também sou conhecido exatamente. Agora, porém, permanece a fé, a esperança, o amor, estes três; mas o maior destes é o amor. 1 Coríntios 13.

Mãe feliz por você existir
Sílvia

28 comentários:

Carla Farinazzi disse...

Silvia,

Vejo-me em muito do que dizes.
Esse amor tão grande e tão infinito...

Priscila é uma mulher de sorte! Por ter uma mãe maravilhosa como você, que lhe dedica esse amor intenso e vivo, e, tenho certeza, uma pessoa com quem ela poderá contar para o resto de sua vida, em qualquer situação. Alguém que estará sempre com ela, para o que der e vier.

Beijos, querida!

Carla

Andre Luis Aquino disse...

“Os filhos são filhos de todas as mães e as mães são mães de todos os filhos”.A ternura das suas palavras ainda respinga em minhas mãos, eu sonho um dia ter filhos e o seu texto é um daqueles pra eu guardar na minha memória em meus futuros acalantos.....obrigado!

Prisca disse...

O que posso dizer, entre lágrimas e alegria...e de braços abertos.... Muito Obrigada... As palavras, o vídeo, tudo é mar, são Tulipas, São flocos... é amor...
Você realmente tem esse dom da candura das palavras...
Muito Muito Obrigada, dessa filha com 32 anos agora, um a mais que ontem...
Beijos e floquinhos
Sua filha, sempre,
Priscila Costardi

BEBE disse...

Claro que eu BEBE ...Rolinho de algodão não poderia deixar de vir
aqui me enrolar nesta colcha no dia das crianças
e deixar meu abraço branquinho,
carinhoso com gosto de algodão doce
para esta menina mãe que
possui o coração da menina filha
sempre em seus bracinhos.

Beijos de algodão doce
pra vcs duas.

BEBE

gremunhoz disse...

Sil e Pri, vocês me emocionam... saber que existem relações tão sagradas sobre a Terra, reencontros tão especiais entre almas que certamente foram feitas do mesmo "floco", renova minhas esperanças num mundo melhor. Amo vocês por se amarem assim. Que toda mãe e filha possa experimentar essa cumplicidade tremenda. Eu e minha mãe demoramos um pouco a engrenar, mas a vida e o amor se encarregaram de consertar as coisas. Hoje caminhamos juntas na praia e comemos docinhos entre conversas e risadas cúmplices. bj carinhoso da Gre <3

Mariane disse...

Lindo presente
Linda homenagem
Grande é o coração de uma mãe!
Espanhando floquinhos de amor, ternura e carinho!
beijos as duas...

Sil.. disse...

Silvia,

Xará queridaaaaaa (Ou Chará?rs)

Nem me fale, minha amiga, porque minha filha é TUDOOOOO pra mim.
Que delicia essa, de ser mãe.
Por isso me emocionei tanto com essa sua declaração de amor!

Um abração meu!

flaviopettinichiarte disse...

Silvinha!!!Sempre é bomfalar dos filhos, sentir eles, pulsar na mesma intensidade...Nossa que saudade dos Meus!!!
Muito obrigado pela visita!! sempre grato ...é isso, fazer arte onde houve dor e agora há esperanças!!se quiser divulgar alguma das fotos fique a vontade..estão justamente para isso... bjs!!!

nydia bonetti disse...

Sempre tão doce, Silvia. Você é mesmo rara. E quem não gostaria de um presente como este. (com floquinhos...):) Beijo, Silvia, beijo, Priscila!

Sílc disse...

Meus Amores, obrigada por tanto amor, floquinhos de carinho. Sou só emoção e satisfação!
Amo-os por demais.
Sílvia feliz com sua caixa repleta de floquinhos!

MZ disse...

O que eu vi aqui hoje, foi amor, ternura, carinho e tudo o que pode uma mãe expressar incondicionalmente.

O melhor do mundo para vocês duas!

bjs

Lou Witt disse...

Lindo, lindo!!!

Coração cheio de emoção aqui, calorzinho de amor de mãe.

Beijo querida e feliciades sempre!

Mariane disse...

Silvia,
volto aqui para agradecer tuas ricas palavras lá na minha casa.
Fizeste uma leitura precisa do meu texto um tanto embaralhado, é porque tens sensibilidade aguçada menina!
Beijos e muita estima
Desta MariAne

Renata Bezerra disse...

Sílvia querida, tua filha tem sorte por ter uma mãe como você. Teu blog é recheado de sensibilidade. Parabéns.

Desculpe minha ausência. Te trago no meu coração.

Beijos.

BEBE disse...

Lendo seu comentário em minha ESTRELA DO MAR...
Não resisti a tanta paixão
expressada...
Traduzindo em letras muitos
dos meus sentimentos.
Formatei e postei teu expressar
em meu outro blog...
REFÚGIO DE LIZ (Inspirado no filme
Feitiço de Áquila), te convido
para uma visita pelas asas do falcão.

http://refugiodeliz.blogspot.com/

Algumas vezes aqui é o meu esconderijo.

Um abraço
querida nesta tua alma...
APAIXONANTE!
BEBE

Sonia disse...

Olá Silc, Que linda homenagem, feita para Priscila.
Os filhos são realmente uma herança valiosa. Poder dar e receber este amor é uma dádiva de Deus, uma grande demonstração do Seu amor por nós.
Obrigada por compartilhar conosco tão singelo retalho.
Beijos

Helena Castelli disse...

Pois é, querida. As pessoas têm ligações que a nossa razão não alcança. Não sabemos as razões pelas quais Deus nos colocou aqui, nem porque nos colocou no caminho muitas pessoas, algumas por razões "naturais", como a familia. Outras como nossos amigos ou conhecidos. Outras como lá no Orkut ou aqui nos blogs. Temos todos uma ligação íntima. E voce está entre as pessoas que considero sagradas em meu viver... Obrigada por participar da minha história.

Beijos com muito carinho.
Helena

Terráqueo disse...

Que lindo. Ela tem muita sorte de ter uma mãe amorosa como você. Mesmo sem conhecê-la, tenho certeza que você tem sorte de ter uma filha tão especial

Anônimo disse...

Sílvia !

Que Deus abençõe e conserve tanto amor e carinho entre vocês !
Seu texto está emocionante e espero que sua filha guarde para a posteridade. PAra que nos momentos de dificuldade lembre do quanto é amada por você e por Deus !

Bjo,

Susana
http://dutchjes.blogspot.com

Ianê Mello disse...

Lindo, lindo!!!!

Conheço esse sentimento, tenho duas filhas.

Grande beijo, querida.

Rita Contreiras disse...

Amar com desapego é um aprendizado difícil!Mas sabemos que voar é preciso, construir a própria história é preciso, mas com certeza um amor desse tamanhão como é o de mãe é o maior e melhor amparo que se pode ter em todos os momentos da vida. Amor é um forte rede de segurança. Grande abraço.

MariAne disse...

Silvia,
vim estender um grande abraço que deixo lá em casa com a musica: RICAmizade, passa lá!

MariAne disse...

Meu anjo,
saudades tuas
deixei um selinho pra ti lá em: http://duaspontasdolapis.blogspot.com/2010/11/selo.html

Abraços da Mari

Michele disse...

Nossa, que historia linda essa dos Floquinhos de Carinho. Acho que distribui os meus todos e não ganhei muitos. Mas isso não tira a beleza da historia, só me enche de esperanças de que, um dia, eu possa receber muitos floquinhos.

Lou Witt disse...

Passando pra deixar o meu carinho!!!

Beijo

AnaLua disse...

Obrigada pelos comentários carinhosos no meu blog.

Gosto da maneira como vc se revela, abrindo gavetas aos poucos.

Mas quando se trata de revelar amor de mãe - sei o que é isso - não há como ponderar ou escolher palavras. É TODO e TUDO.

de mãe pra mãe.

AnaLua

cristinasiqueira disse...

Oi Sílvia,

Cheguei num momento ïntimo e apaixonado,além,çomovente.


Beijos ,e carinho,
Cris


tem novo post no www.cristinasiqueira.blogspot.com

kekel - Márcia Raquel disse...

Ontem foi o dia da família. Quando penso na minha, logo me vem na mente meus pais e meus dois meninos. Não sei se seria tão bela a minha vida sem eles. Amor maior! Amor divino! Amor eterno.

Linda mensagem! Lindo o amor que ilumina tua família, tua menina, tua princesa. Parabéns!

Beijos carinhosos
Kekel

www.aspalavrasquemedefinem.blogspot.com
www.quemmoradentrodemim.blogspot.com